Especiais | PDA
Newsletter
LOJAS:  Decoradores e Designers | Sofás | Mobiliario de Decoração

 
  Home
  Notícias
  Novidades
Marcas
Agenda
Livros
  Especiais
  Casas e Interiores
  Objectos
   & Ambientes
  Shopping
  Etiqueta
  Gourmet
  Gente
  Passatempo
  Directório de Lojas
  Fóruns
  Dicas prà troca
Falar Decoração
  Contactos
  Internet
Editorial
  Notícias RSS
  Jogue on-line
  Acção
Desporto
Plataformas
Puzzle
Shoot´Em Up
  PDA
 
Pesquisar
 
Subscrever
Máxima Interiores

Outras edições


CASAS E INTERIORES
 
 
 
Na sala de estar, o cadeirão de braços convida à leitura. Ao lado, o baú pintado a vermelho, onde Sarah O’Keefe, a proprietária, guarda fotografias e outras recordações. Na estante, onde, além de livros, a jarra de rosas marca o estilo algo kitsch.

Entrar nesta casa londrina é deixar a cidade para trás e chegar a um refúgio bucólico, no meio da agitação.

Texto de Denise Elphick l Fotografia de Winfried Heinze

 
 
The Cross é muito mais do que uma loja de roupa. É um espaço que nasceu há 12 anos, no bairro Notting Hill, em Londres, para expressar uma alternativa étnica e original de vestuário e de estilo de vida. Sarah O’Keefe e a sua sócia, Sam Robinson, decidiram alargar esta filosofia ao abrir uma loja de interiorismo.

“A decoração de interiores é uma parte do nosso estilo, só que não tínhamos espaço na The Cross. Por isso, abrimos a Cross the Road. É definitivamente um reflexo das nossas casas – o que vendemos é, basicamente, o nosso gosto pessoal. Se eu e a Sam partilhássemos um apartamento, ele seria à imagem deste último projecto”, explica a empresária.

Apesar de se considerar mais minimalista que a sócia, Sarah confessa a sua tendência para ornamentar. “Sempre me interessei pela estética”, afirma. “Quando era criança, a minha mãe fazia belíssimos chapéus para festas. Por causa disso, te-nho um carinho especial pelo divertido e pelo kitsch.”

Pormenor da sala de estar, onde se vê a janela com cortinas de renda e uma pequena mesa ornamental.
Pavimento e degraus pintados em cinzento contrastam com os detalhes de cor viva. Louis, o terrier de Sarah O’Keefe, descansa sobre o sofá.
Talvez por isso a nossa anfitriã tenha a sensação de que a sua moradia é demasiado rústica para uma cidade como Londres. “É o meu paraíso num mundo à parte”, confessa. A base da decoração foi dada com a pintura do chão a cinzento, mas a proprietária desafiou as nuvens londrinas com os tons vivos dos objectos decorativos. “Adoro a saturação de cor, como no rosa do meu tapete, da sala de estar, ou na manta ikat que anda sempre comigo”, exemplifica Sarah.

A cozinha é a divisão mais simples da casa. O que antes era uma porta deu lugar a um simples prolongamento entre esta divisão luminosa e a sala de estar. Num dos cantos, encontramos a mesa de jantar. Um espelho velho atravessa-a em todo o comprimento. Em baixo fica a mesa de jantar em madeira sem acabamento, vinda do Vietname. Mas esta superfície de aspecto grosseiro serve de palco a dois delicados candelabros de vidro. As cadeiras foram um achado numa loja de artigos em segunda mão.

A passagem que une a sala de estar à cozinha foi aproveitada para espaço de trabalho. O tapete fúchsia é uma das peças preferidas de Sarah O’Keefe.
A lareira ao centro da sala de estar define a organização do espaço. Na estante, livros e fotografias de família são os elementos principais. As flores e os tons rosa evidenciam o estilo muito feminino da proprietária.
“Não consigo compor o cenário tão bem como queria”, confessa a proprietária. “Esqueço-me de comprar flores frescas. Em vez disso, tenho uma jarra enorme com ramos de magnólia artificiais. Dão um ar primaveril à cozinha e enganam toda a gente.” Nestes pormenores, pouco perfeccionistas, a proprietária revela a sua maneira de abordar a decoração. Gosta de se divertir com a casa e não acredita que um projecto de interiores deva ser levado muito a sério. Mesmo assim, O’Keefe empenha-se em criar ambientes misteriosos: “Gosto do sentimento de boudoir. Adoro a luz baixa, a chama das velas e o fogo de lareira.”

A sala de estar está organizada em torno da fonte de calor. O conforto dos grandes cadeirões e do convidativo sofá saltam à vista. Este é o local de eleição para mimar o “man of the house”: Louis, um terrier de dois anos. Além das estantes cheias de livros, uma mala vermelha, onde a proprietária guarda todas as recordações, tem um lugar de destaque.

Os retoques mais femininos concentram-se na casa de banho. As paredes cor-de-rosa conjugam-se com as louças e rodapé verdes, com a banheira de pés esculpidos e com as cortinas de renda.

O cor-de-rosa é também regra no quarto. O fúchsia da manta sobre a cama condicionou toda a decoração. “Gosto de utilizar um objecto que adoro absolutamente – como o cobertor no meu quarto – e trabalhar tudo o resto a partir daí. Aprecio os motivos do Médio Oriente, como os do espelho do meu quarto. E a imagem ‘Love’ que é vendida na loja”, afirma Sarah.

Na zona de refeições destaca-se o espelho, que a atravessa ao comprimento e uma mesa de madeira rústica do Vietname. Sobre ela, castiçais de vidro encontrados numa loja em segunda mão.
De futuro, a proprietária pensa dar nova vida ao jardim. “Quero construir um estúdio que também sirva de espaço para os convidados. Vou colocar canteiros de flores no telhado, para que continue tudo verde”, planeia a nossa anfitriã.

Mais do que simples peças de decoração, o Buda sorridente da sala de jantar, as flores e os tons rosa são a afirmação de um estilo muito pessoal. Curiosamente, um estilo que fidelizou um grande número de clientes ao conceito Cross. Depois de uma semana de agitação entre as duas lojas, Sarah mal pode esperar por fugir da cidade para a sua casa de campo. Mas quando não pode, o ambiente bucólico do seu refúgio londrino, na companhia de um bom livro, já é suficiente.


O quarto foi decorado em função da manta ikat sobre a cama. O gosto pelo estilo do Médio Oriente e pelo kitsch estão presentes na combinação entre o espelho e a impressão ‘Love’ sobre a lareira. O jarro de água serve de vaso para rosas sobre a mesa de apoio. A casa de banho é tão feminina como o resto da casa. O espelho e tapete de estilo oriental combinam com a banheira de pés esculpidos de aspecto antigo. Em vez de armários, a proprietária escolheu arrumar em estante.
1. Castiçal Gioeillo, preço sob consulta, Colonial Club. 2. Almofadas Guerande, Les Muses e Sumi, da Pierre Frey, preços sob consulta, Barreiros & Barreiros. 3. Florão de tecto em poliuretano extra mate, da Sedap, preço sob consulta, Traço de Luz. 4. Tapete Persisk, €346,11, Ikea. 5. sofá Dominique, 174 x 95 x 93 cm, Barreiros & Barreiros. 6. Jarra de cerâmica relevada e vidrada, €60, com ramalhete de ranúnculos, €22, tudo Flor. 7. Banheira de pés Admiral Lux, da Devon & Devon, preço sob consulta, Loja do Banho.
 
 





 



Anunciar on-line | Assinaturas | Contactos | Notícias por RSS | Promoções | Serviços Móveis Record | Serviços Móveis CM
ADSL.XL | Classificados | Emprego | Directórios | Jogos | Horóscopo | Tempo

Copyright © . Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Edirevistas, S.A. , uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina.
Consulte as condições legais de utilização.